Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \07\UTC 2007

Yoga

Hoje em dia muito se fala sobre o Yoga. Muitas pessoas, estressadas com o dia-a-dia turbulento, em sua incessante busca de iluminação interior, ou de algum alívio, acabam recorrendo à esta técnica/filosofia/prática/teoria que é o Yoga. Existe, porém, muito pouco conhecimento concreto sendo difundido entre nós, ocidentais. Existe também muitas dúvidas e curiosidades que acabam não sendo satisfeitas, às vezes até por pura preguiça… 😉

 

Seus problemas foram resolvidos!!

 

Mr. Happy vem para preencher esta lacuna, tranzendo algumas informações sobre essa indiscutível tendência.

Como tema complexo que é, temos diversas definições sobre o que é o Yoga, ou Ioga. A seguir algumas delas:

Definição #1:

 

Ioga é uma prática ancestral de origem indiana que visa objetivos diversos, tais como auto-conhecimento, equilíbrio entre corpo e mente, saúde física e espiritual e comunhão entre o indivíduo e o todo.

Definição #2:

 

O caminho do conhecimento; Por meio da análise e rejeição de todos os fenômenos transitórios, pelo processo da eliminação, o aspirante espiritual finalmente alcança Brahman e realiza sua união com o aspecto impessoal de Deus Supremo.

Definição #3:

 

Ato de ligar. União da alma individual com o Supremo. A yoga proporciona meios para se atingir a mais alta consciência e a libertação final dos laços do mundo por meio do controle das ondas de pensamento da mente. Eficiência na ação.

Definição #4:

 

Método ou disciplina psicossomática para chegar a um pleno desenvolvimento psicofísico e espiritual.

Definição #5:

 

Ciência prática e exata codificada por Patanjali, de modo que fosse possível ao homem comum praticar a espiritualidade, vivenciá-la, por posturas, gestos, respirações, sons, mantras, símbolos, energias, etc – de modo que o caminho espiritual fosse trilhável de forma independente de dogmas e crenças, sem a dependência dos sacerdotes brahmanes.

A prática do Yoga

 

Patañjali nos diz que “Yoga é a cessação da flutuação da mente”. Existem várias vertentes do Yoga, vários métodos e práticas para se chegar a esse fim. Constitui-se de uma filosofia cujo conjunto de técnicas visam o autoconhecimento do praticante.

A prática do Yoga está muito ligada à espiritualização, e à leveza da mente. Os ásanas são as posições às quais os praticantes são submetidos, visando a movimentação e sensibilização de órgãos que são pouco estimulados, oferecendo uma melhora substancial no funcionamento dos mesmos. A prática da meditação também está muito ligada com o Yoga. Existem vários métodos de meditação nas diversas variações de Yoga, sendo que todas têm em comum o objetivo de acalmar a mente, eliminando os pensamentos, ou focando a atenção em somente um pensamento, objeto, canção ou mantra. Os métodos de meditação não são o escopo desse post, mas serão abordados em outra ocasião.

 

Ashtanga: os oito pilares do Yoga Clássico

 

Referidos como etapas, são passos que se sobrepõem à medida que se avança no caminho. O discípulo somente passa a etapa seguinte quando já dominou o precedente. São:

 


1. Yama ou cinco prescrições morais

  • Ahimsa ou não-violência
  • Satya ou não mentir
  • Asteya ou não-roubar
  • Brahmacharya ou não dissipar a sexualidade
  • Aparigraha ou não cobiçar

2. Niyama ou cinco prescrições éticas

  • Saucha ou limpeza

higiene corporal externa, e interna pelos “Asanas” e “Pranayamas”

da mente, do intelecto, da alimentação

do lugar em que se pratica ioga

  • Santosha ou contentamento
  • Tapas ou auto-superação

esforço do corpo, da fala e da mente

  • Svadhyaya ou auto-estudo
  • Ishvara pranidhama ou auto-entrega

3. Asana ou posições psicofísicas
4. Pranayama ou expansão (ayama) da força vital (prána) através de exercícios respiratórios
5. Pratyahara ou abstração dos sentidos externos
6. Dharana ou concentração mental
7. Dhyana ou meditação
8. Samadhi ou estado de hiperconsciência, absorção

 


Principais linhagens

 

Como toda técnica ou pensamento, o Yoga acabou se especializando e se diversificando, dando origem a várias linhagens, todas com objetivos semelhantes, diferindo apenas nas técnicas e no fundamentalistmo.

 

Seguem algumas linhagens :

 

Karma Yoga: É a integração (ioga) pela dedicação de todas as ações e seus frutos à divindade. É a execução da ação em união com a parte divina interior, ficando distanciado dos resultados, e mantendo o equilíbrio seja em face do sucesso ou do fracasso. A prática da ação sem esperar por seus frutos liberta do medo e do pesar. O praticante de Karma Yoga deve se libertar da ambição, do desejo, da raiva e do egoísmo. Deve ter um grande coração, amar a sociedade com os homens de todos os tipos. Ao praticar Karma Yoga, essas qualidades vão se tornando parte da pessoa;

 

Hatha Yoga: É uma forma de yôga pós-clássico (posterior ao Yôga Clássico de Pátañjali) desenvolvida no século 19, derivada da ênfase que o tantrismo deu ao corpo. Introduziu posturas e exercícios respiratórios que se tornaram a base da prática atual de yôga. Assim como as demais escolas de yôga, visa transcender a consciência, mas a metodologia utilizada é baseada no fortalecimento do físico. O Hatha Yôga é formado por mais de 80 mil ásanas, derivados de 84 considerados fundamentais para a prática.

 

Raja-Yoga: É uma classe da modalidade de yoga que se utiliza do domínio interno das atividades mentais, portanto é voltada para pessoas que tenham uma tendência à meditação. Consiste em oito etapas.

 

Etapas

 

  • Yamas (harmonização do homem com a sociedade)
  • Niyamas (harmonização interna do homem com ele mesmo)
  • Asanas (exercícios físicos)
  • Pranayama (exercícios respiratórios)
  • Pratyahara (abstração e interiorização dos sentidos)
  • Dharana (concentração da mente)
  • Dhyana (meditação)
  • Samadhi (estado em que se destruiu a ignorância de nossa verdadeira natureza).

A prática dessa modalidade de yoga traz benefícios ao corpo, bem como seu desenvolvimento e aprimoramento, e aos órgãos, revitalizando-os. Sendo a prática regular, tende a atingir pleno controle da mente.

 

Bhakti Yoga: É um dos ramos da yoga que conduz à comunhão divina através da devoção. No livro Bhakti-rasamrta-sindhu, de Rupa Goswami bhakti, se divide em tres estágios: sadhana-bhakti, bhava-bhakti e prema-bhakti. Dentro de sadhana-bhakti existe dois tipos diferentes de bhakti: vaidhi-bhakti e raganuga-bhakti.

 

Kundalini: Kundaliní é o poder espiritual primordial ou energia cósmica que jaz adormecida no Múládhára Chakra, o centro de força situado próximo à base da coluna, e aos órgãos genitais. É a energia que transita entre os chakras. Deriva de uma palavra em sânscrito que significa, literalmente, “enrolada como uma cobra” ou “aquela que tem a forma de uma serpente”. É a energia do Universo em seu aspecto Purna-Shakti, total, como potencial, sendo o Prana-Shakti seu aspecto biológico, ou fisico, como calor e eletricidade. É também tema de estudo no campo da psicologia onde a reputam de difícil condução com a disciplina e maturidade que é requerido para esse intento, pois é um conceito oriental, com outros significantes, e sem paralelos com a psicologia.

 

Kriya Yoga: É um sistema de Yoga que remonta a tempos imemoriais, e foi revivido nos tempos modernos por Lahiri Mahasaya. Paramahansa Yogananda popularizou o Kriya para o público em geral através do livro Autobiografia de um Iogue. O sistema consiste em técnicas yóguicas que aceleram o desenvolvimento espiritual e ajudam a alcançar um profundo estado de tranquilidade e comunicação com Deus e com seu próprio Eu Superior.

 

Jñana Yoga: É uma modalidade de yoga conhecida também pelo uso do conhecimento, ou seja, por uma verdade pré-existente e imutável, para atingir a sabedoria e estudo. A “Jnana Yoga” não é de fácil pratica, pois a pessoa necessita de uma determinação e penetração além da filosofia, acreditando que somente os sentidos atuam na percepção do ”ouvir, tocar, sentir, ver”.

 

Sahaja Yoga: É um método para obter a auto-realização. Ela realiza, espontaneamente, a união interior da nossa consciência com o nosso Ser Interior, que é a dimensão Divina dentro de cada um de nós. A Sahaja Yoga atua no sistema sutil dentro do sistema nervoso central. Esse sistema interior registra a totalidade da experiência humana. É a integração das atividades físicas, emocionais, mentais e espirituais. Tem como principal foco as vibrações,vale dizer, a energia espiritual primordial que controla o estado de movimento de cada célula viva. Você vai aprender como absorver essas vibrações e entender o que elas significam. Essas vibrações são conhecidas como o vento do Espírito Santo e são chamadas de Chaitanya, em sânscrito.

 

Existem outras linhagem, e sub-linhagem dessas principais, cabendo ao aluno/discípulo/aprendiz escolher a que mais lhe parecer conveniente, através dos seus objetivos e práticas.

 

Yoga na atualidade

 

Para combater o stress do dia-a-dia, cada vez mais academias e instrutores estão se especializando no Yoga. Está cada vez mais claro que esta filosofia aliada à prática direcionada realmente trazem benefícios para todo mundo.

 

A medicina está cada vez mais interessada no Yoga, pois a cada ano que passa o número de pacientes depressivos, com síndrome do pânico e outros males emocionais aumenta, e fica evidente que o Yoga tem uma eficácia nesses casos psicossomáticos.

 

Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Boston concluíram que a prática de Yôga pode elevar os níveis do neurotransmissor GABA (“gamma-aminobutyric”). Os médicos sugerem que o Yoga merece ser explorado como possível tratamento para depressão e ansiedade, duas condições associadas a baixos níveis do neurotransmissor GABA. A prática de Yoga pode reduzir a freqüência e intensidade das enxaquecas. A conclusão é de uma pesquisa feita na Índia. Os pesquisadores descobriram que, entre 72 adultos que sofriam de enxaqueca, aqueles que foram colocados num programa de Yoga diminuíram muito mais a freqüência e intensidade da dor.

 

Universidade do Texas recebeu US$ 2,4 milhões do governo dos EUA para aprofundar uma pesquisa sobre o uso do Yôga no tratamento do câncer. Uma pesquisa anterior mostrou que o Yôga melhorou o sono de pacientes com linfoma, por combater os efeitos colaterais da radiação e quimioterapia. Fora os outros benefícios que ainda não foram totalmente explorados nem explicados pela medicina, mas que se tornam evidente pelo número de pessoas satisfeitas com essa prática.

 

Livros indicados

 

Depois dessa pequena exposição do que é o Yoga, os mais interessados por esta mudança no estilo de vida podem se aprofundar através dos livros recomendados abaixo :

 

Namastê… 😉

 


 

Artigos relacionados e base para o texto :
http://www.zendobrasil.org.br/si/site/jornal_materia?codigo=151
http://pt.wikipedia.org

Read Full Post »

Soja

Muito se tem falado da soja ultimamente. Principalmente entre os vegetarianos, a soja é um alimento que tem sido largamente utilizado, tanto por sua abundância quanto por suas propriedades, e, principalmente, por causa da imensa divulgação em torno deste grão. Leite de soja, carne de soja, queijo de soja, cereais, pães e biscoitos à base de soja estão cada vez ocupando mais prateleiras nos supermercados, e cada vez mais espaço no cardápio do consumidor brasileiro.

Porém, existe muita controvérsia quanto a todo alarde feito à soja. Será que o alimento foi supervalorizado justamente porque o Brasil detém a 2ª maior produção do mundo de soja e precisa dessa propaganda para disseminá-lo cada vez mais? Será que as indústrias viram na soja um nicho de mercado altamente lucrativo e então passaram a massificar a produção da soja somente com o intuito capitalista?

Vamos aos fatos :

A favor da soja :

  • Existe em abundância no Brasil;
  • É considerada fonte de proteína completa, ou seja, contém quantidades significativas de todos os aminoácidos que devem ser consumidos por nós, mas que não temos capacidade de sintetizar;

  • É o único alimento protéico fornecido por organizações humanitárias a povos africanos subnutridos;

  • Contém isoflavonas, ou isoflavonóides que atuam como um elemento anti-oxidante reduzindo as taxas do colesterol ruim (LDL) no sangue e, conseqüentemente, diminuindo o risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares;

  • Pode ser preparada para substituir o feijão, em forma de queijo, leite, carne, substituindo produtos e subprodutos de origem animal;

Contra a soja :

  • Estudos mostram que o efeito redutor nas taxas do colesterol ruim não são significativas, mesmo com grande quantidade de soja;

  • A soja contém altos níveis de ácido fítico, ou fitatos, que reduzem a assimilação de cálcio, magnésio, cobre, ferro e zinco em adultos e crianças, prejudicando a saúde e o crescimento. (Embora pesquisas na área transgênica atualmente têm eliminado o fitato nas sojas transgênicas);

  • A soja contém inibidores de tripsina que interferem na digestão das proteínas e podem causar distúrbios pancreáticos e retardo no crescimento;

  • O processamento da proteína de soja resulta na formação da tóxica lisinoalanina e das altamente carcinogênicas nitrosaminas. Fora um conteúdo extra de alumínio em grande quantidade – e o alumínio é tóxico para o sistema nervoso, para os rins e para a medula óssea;

A maioria dos sites relacionados às propriedades fantásticas da soja, e às suas inúmeras qualidades como alimento estão relacionados à empresas de alimentação, nutrição e saúde, que lucram com a soja. Será que estamos mais uma vez sendo manipulados pela mídia e pelo capitalismo?

Fica aqui uma declaração de Hipócrates, o pai da Medicina :

Os feijões são tão ricos em nutrientes que poderíamos viver só deles, se não fossem tão tóxicos. Por isso temos que comê-los em pequena quantidade, sempre acompanhados de algum cereal como trigo, cevada, arroz ou milho.”

O post teve como referência os seguintes sites :

Read Full Post »